Esperança do Advento - Um Blog Cheio de Esperança

Esperança do Advento - Um Blog Cheio de Esperança

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

CÂNTICO AO SENHOR DEUS

Então cantou Moisés e os filhos de Israel este cântico ao SENHOR, e falaram, dizendo: Cantarei ao SENHOR, porque gloriosamente triunfou; lançou no mar o cavalo e o seu cavaleiro. Êxodo 15:1.

O Senhor é a minha força, e o meu cântico; ele me foi por salvação; este é o meu Deus, portanto lhe farei uma habitação; ele é o Deus de meu pai, por isso o exaltarei.
O Senhor é homem de guerra; o Senhor é o seu nome.
Lançou no mar os carros de Faraó e o seu exército; e os seus escolhidos príncipes afogaram-se no Mar Vermelho.
Os abismos os cobriram; desceram às profundezas como pedra.
A tua destra, ó Senhor, se tem glorificado em poder, a tua destra, ó Senhor, tem despedaçado o inimigo;
E com a grandeza da tua excelência derrubaste aos que se levantaram contra ti; enviaste o teu furor, que os consumiu como o restolho.
E com o sopro de tuas narinas amontoaram-se as águas, as correntes pararam como montão; os abismos coalharam-se no coração do mar.
O inimigo dizia: Perseguirei, alcançarei, repartirei os despojos; fartar-se-á a minha alma deles, arrancarei a minha espada, a minha mão os destruirá.
Sopraste com o teu vento, o mar os cobriu; afundaram-se como chumbo em veementes águas.
Ó Senhor, quem é como tu entre os deuses? Quem é como tu glorificado em santidade, admirável em louvores, realizando maravilhas?
Estendeste a tua mão direita; a terra os tragou.
Tu, com a tua beneficência, guiaste a este povo, que salvaste; com a tua força o levaste à habitação da tua santidade.
Os povos o ouviram, eles estremeceram, uma dor apoderou-se dos habitantes da Filístia.
Então os príncipes de Edom se pasmaram; dos poderosos dos moabitas apoderou-se um tremor; derreteram-se todos os habitantes de Canaã.
Espanto e pavor caiu sobre eles; pela grandeza do teu braço emudeceram como pedra; até que o teu povo houvesse passado, ó Senhor, até que passasse este povo que adquiriste.
Tu os introduzirás, e os plantarás no monte da tua herança, no lugar que tu, ó Senhor, aparelhaste para a tua habitação, no santuário, ó Senhor, que as tuas mãos estabeleceram.
O Senhor reinará eterna e perpetuamente;
Porque os cavalos de Faraó, com os seus carros e com os seus cavaleiros, entraram no mar, e o Senhor fez tornar as águas do mar sobre eles; mas os filhos de Israel passaram em seco pelo meio do mar.

Fonte: https://www.bibliaonline.com.br/acf/ex/15

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

PAZ

Felizes aqueles que procuram promover a paz, pois serão chamados filhos de Deus. Mateus 5:9, Nova Bíblia Viva
O site de uma conhecida revista brasileira publicou, há pouco tempo, a carta que Gandhi escreveu para Adolf Hitler dias antes de estourar a Segunda Guerra Mun­dial. A carta nunca foi lida pelo Führer, pois foi interceptada pela inteligência britânica, mas ela revela a coragem, humildade e sinceridade de Gandhi ao tentar promover a paz:
Índia, 23 de julho de 1939
Querido amigo,
Amigos têm insistido que eu lhe escreva para o bem da humanidade. Eu, porém, tenho resistido ao pedido deles, pois sinto que qualquer carta escrita por mim seria uma impertinência. Algo me diz que não devo hesitar e devo tentar fazer meu apelo, pois tal&vez ele tenha alguma utilidade.
Está claro que hoje você é a única pessoa no mundo que pode evitar uma guerra capaz de reduzir a humanidade a seu estado mais selvagem. Devemos pagar esse preço por algo mais valioso que lhe pareça? Você vai ouvir o apelo de alguém que deliberadamente deixou de lado os métodos de guerra e obteve considerável sucesso? De qualquer forma, peço desculpas antecipadamente, caso tenha errado em escrever para você.
Permaneço seu amigo,
M. K. Gandhi
É muito provável que essa carta não produzisse o efeito pretendido pelo autor, devido à obstinação do líder alemão, mas é lindo ver alguém fazendo o que pode em nome da paz.
De acordo com Jesus, os pacificadores são filhos de Deus. Por quê? Porque Deus é um pacificador. Ao sermos agentes de paz em nossa esfera de atuação, demons­tramos que temos o DNA de Jesus. Ao controlar nossa língua, respeitar as pessoas, ter paciência com o próximo e evitar conflitos desnecessários estamos agindo como filhos da paz. O mundo precisa de pessoas assim.
Como ocorreu com Gandhi, nem sempre nossas tentativas de pacificação terão o resultado pretendido. Porém, não podemos desistir. A "carta" de Deus chegou até nós e nos pacificou. É nosso dever, então, repassá-la aos outros.
Fonte: http://iasdcolonial.org.br/inspiracao-juvenil/mensal#22.html

terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

O PROPÓSITO DOS DONS ESPIRITUAIS

Querendo o aperfeiçoamento dos santos, para a obra do ministério, para edificação do corpo de Cristo; Efésios 4:12

Leia Romanos 12:3-8 e Efésios 4:8-12. De acordo com esses textos, qual é o propósito dos dons espirituais que Deus nos dá?
Os dons espirituais foram claramente concedidos para o serviço, não para nossa santificação. Eles não são truques surpreendentes que satisfazem nossa curiosidade, nem são dados como antídoto para o tédio. Muitas vezes pensamos nos dons espirituais em termos da satisfação das nossas necessidades espirituais, ou do nosso fortalecimento na caminhada com Deus. O resultado disso é uma concepção dos dons mais centrada nos cristãos do que em Cristo; mais voltada para nós do que para Deus. Quando tentamos retomar a perspectiva dos dons espirituais centrada em Deus, percebemos que os dons por Ele concedidos cumprem vários propósitos divinos: são dados para promover a unidade da igreja e para edificá-la (Ef 4:12-16). São concedidos para levar adiante o ministério que o Senhor comissionou à igreja (Ef 4:11, 12). Por fim, eles são dados para glorificar a Deus (1Pe 4:10, 11).
Essa é a razão pela qual os dons nunca são dados para nos agradar. Eles devem edificar outras pessoas (1Pe 4:101Co 14:12, 26). São concedidos a fim de trazer proveito espiritual e edificação a toda a igreja. É uma tragédia quando os dons de Deus, que deveriam promover a unidade da igreja, são mal utilizados de modo que apenas certos indivíduos são exaltados. Quando isso acontece, as pessoas recebem um destaque indevido. Isso, por sua vez, promove a desunião e dá espaço à discórdia.
Muitas vezes pensamos nos dons espirituais apenas em termos de habilidades e talentos que recebemos. Embora os talentos estejam envolvidos nos dons espirituais, devemos ter em mente que, ao conceder um dom espiritual, o Espírito Santo sempre dá também uma tarefa ou ministério específicos juntamente com ele (1Pe 4:10). Portanto, podemos dizer que os dons espirituais são certas capacidades dadas por Deus de maneira sobrenatural por meio do Espírito Santo. Eles habilitam a pessoa a um tipo especial de serviço que edifica a igreja. Para alcançar esse objetivo, são necessários diversos dons.
Por que a principal finalidade dos dons é a unidade da igreja? Como os cristãos, com dons diferentes, podem visar à unidade na igreja? O que precisa acontecer para que os diferentes dons na igreja se tornem uma bênção em lugar de uma fonte de divisão?

Fonte: http://www.escolasabatinaonline.com.br/o-proposito-dos-dons-espirituais/

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

À LUZ DA MISERICÓRDIA

Felizes os que são misericordiosos, porque Deus mostrará a eles a sua misericórdia. Mateus 5:7, Nova Bíblia Viva
Durante nove meses, o filho suga literalmente tudo o que o há de melhor do corpo da mãe. Todas as substâncias necessárias à manutenção da vida huma­na são produzidas em escala maior durante a gestação, porque o feto não pode ficar sem alimento. Como se não fosse suficiente expandir o abdômen da mãe, o bebê em gestação promove uma verdadeira revolução no corpo feminino. Ao sair, deslo­ca órgãos e articulações da mulher, causa fortes dores e, em geral, deixa marcas no corpo e na alma. O mais bonito é que depois desse trabalho todo, em via de regra, as mães esquecem tudo o que passaram e se alegram profundamente com o filho nos braços. Gerar uma criança significa doar-se para que outra vida possa existir.
E o que isso tem que ver com o versículo de hoje? Misericórdia é tradução da palavra hebraica rachamain, que deriva de rechem, cujo significado é gravidez. Em­bora o Novo Testamento tenha sido escrito na língua grega, Jesus e seus discípulos estavam imersos na cultura hebraica, para a qual o conceito de misericórdia estava relacionado com o ato de uma mulher entregar seu corpo para gerar uma criança.
Na prática, isso significa que, ao agirmos com misericórdia, estamos ajudando a produzir vida para alguém. Misericórdia é ser bondoso para pessoas que não me­recem, não têm como retribuir nem esperam nossa compaixão. Na raiz latina, mise­ricórdia é junção de duas palavras: miseratio (compaixão) e cordis (coração). Ou seja, é se colocar, em amor, no lugar do outro. É um sentimento que parte do coração e vai para a ação. Os misericordiosos não amam da boca para fora, mas de coração para coração. Por isso, estão dispostos a deixar de curtir alguma coisa boa para que outra pessoa fique bem e feliz.
Quando compartilhamos comida, roupa, remédio, amor, atenção e salvação, tudo isso com alegria, estamos demonstrando que a misericórdia de Deus inundou nossa vida.
Ser misericordioso é como dar à luz. Certamente existem pessoas à sua volta que estão vivendo alguma situação de trevas na vida. Seja hoje um agente de Deus para gerar vida para essa pessoa. Sabe o que vai acontecer? Deus também vai gerar vida para você.
Fonte: http://iasdcolonial.org.br/inspiracao-juvenil/mensal#20.html

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

FRUTO DO ESPÍRITO DE DEUS

Mas o fruto do Espírito é: amor, gozo, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé, mansidão, temperança.
Contra estas coisas não há lei.
Gálatas 5:22,23

“Em linguagem moderna, a passagem em Gálatas 5:22, 23 poderia ser lida mais ou menos assim: ‘O fruto do Espírito é uma disposição afetuosa e amável, um espírito radiante, um temperamento alegre e uma mente tranquila; discrição e paciência em circunstâncias irritantes e com pessoas difíceis; discernimento compassivo, delicada solicitude, opinião generosa e grande caridade; lealdade e fidedignidade em todas as circunstâncias e humildade que se esqueça de si na alegria dos outros, tendo autocontrole e domínio próprio em todas as coisas, que é a marca final do aperfeiçoamento. Esse é o tipo de caráter que é o fruto do Espírito. Tudo se encontra na palavra ‘Fruto’. Ele não é alcançado por esforço, mas pela permanência; não por preocupação, mas pela confiança; não vem das obras, mas da fé’”
(S. Chadwick, em Arthur Walkington Rosa, The Holy Spirit [O Espírito Santo]; Bellingham, Wash: Logos Bible Software, sem data, capítulo 30).
Fonte:http://www.escolasabatinaonline.com.br/estudo-adicional-62/

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

CANÇÃO DE QUEM FICA


AMOR MAIS FORTE DO QUE A MORTE

Ora, a esperança não confunde, porque o amor de Deus é derramado em nosso coração pelo Espírito Santo, que nos foi outorgado. Romanos 5:5
Precisamos cair sobre a Rocha e despedaçar-nos, antes de poder ser elevados em Cristo. Se quisermos conhecer a glória do reino espiritual, o eu tem que ser destronado, abatido o orgulho. [...]
À luz da vida do Salvador, o que há no coração de todos, desde o Criador ao príncipe das trevas, é manifestado. Satanás tem representado a Deus como egoísta e opressor, como pretendendo tudo e não dando nada, como reclamando o serviço de Suas criaturas para Sua própria glória, e não fazendo nenhum sacri­fício em favor delas. Mas o dom de Cristo revela o coração do Pai. Ele testifica que os pensamentos de Deus a nosso respeito são "pensamentos de paz e não de mal" (Jr 29:11). Declara que, ao passo que o ódio de Deus para com o pecado é forte como a morte, Seu amor para com o pecador é ainda mais forte do que a morte. Tendo empreendido nossa redenção, não poupará coisa alguma, por pre­ciosa que Lhe seja, se necessário for à finalização de Sua obra. Nenhuma verdade essencial à nossa salvação é retida; nenhum milagre de misericórdia, negligen­ciado; nenhum instrumento divino, deixado de ser posto em ação. Os favores amontoam-se aos favores, as dádivas acrescentam-se às dádivas. Todo o tesouro do Céu está à disposição daqueles que Ele busca salvar. Tendo coletado as rique­zas do universo e aberto os recursos do infinito poder, entrega tudo nas mãos de Cristo e diz: Tudo isso é para o ser humano. Utilize tudo isso para lhe provar que não há amor maior que o Meu na Terra e no Céu. A maior felicidade que terão será encontrada em Me amar.
Na cruz do Calvário, o amor e o egoísmo encontraram-se face a face. Ali teve lugar sua suprema manifestação. Cristo vivera unicamente para confortar e bene­ficiar, e, ao levá-Lo à morte, Satanás manifestou a malignidade de seu ódio contra Deus. Tornou evidente que o real desígnio de sua rebelião era destronar o Senhor e destruir Aquele por meio de quem o Seu amor se manifestava.
Pela vida e morte de Cristo, os pensamentos humanos também são trazidos à luz. Da manjedoura à cruz, a vida do Salvador foi um convite à entrega e à par­ticipação no sofrimento. Revelou o desígnio das pessoas. Jesus veio com a ver­dade do Céu, e todos quantos ouviam a voz do Espírito Santo foram atraídos a Ele. Os adoradores do próprio eu pertenciam ao reino de Satanás. Em sua ati­tude em relação a Cristo, todos manifestariam de que lado se achavam. E assim todos trazem sobre si mesmos o juízo (O Desejado de Todas as Nações, p. 57).
Fonte: http://iasdcolonial.org.br/meditacao-diaria/mensal#16.html